Receita, Viagens

Sopas de Tomate do Alentejo do meu Coração

Passaram 4 meses desde a última vez que aqui escrevi, é tanto tempo que agora sinto-me destreinada, até parece que as palavras não saem! Não deixei de vir aqui por falta de ideias ou por já não me apetecer, simplesmente a vida acontece!

A questão agora é: por onde começar? Com tanto que se passou nestes meses e tanto para partilhar, como escolher agora? Falo das férias? Do trabalho? Do curso de culinária macrobiótica que tanto tocou a minha vida? Das aventuras felinas cá de casa? Ou da minha chegada meio doida aos 30? Sempre com receitas à mistura, claro, que bem sei que quem chega a este blog quer é comidinha boa e não estar a aturar os meus devaneios!

Comecemos pelas férias, que foram tão boas que não me saem da cabeça. E no fim deixo-vos uma sopa com aquele sotaque delicioso do Sul, que podem ir já buscar se vieram só mesmo para isso! ;) Para saberem sobre o resto, vão passando por aqui, prometo que volto rápido para contar tudo!

Este ano decidimos cá em casa que iriamos rumo ao Alentejo para uns dias de férias. Tanto eu como o marido temos costela alentejana e muitas recordações de infância de Verões passados naquele calor seco e tórrido. A última vez que lá estivemos foi há dois anos, num fim de semana de visita aos meus primos e soube a muito pouco, este ano quisemos matar as saudades com mais!

Eu estava numa de passear-me pelo litoral alentejano, ele preferia o interior. A vontade dele teve mais peso: queria mostrar-me o sítio onde passou as férias em miúdo. Achei justo, eu já lhe tinha mostrado o monte e a aldeia onde corri e brinquei em total liberdade quando era gaiata, a modes que pegámos no carro e abalámos com destino a Mértola e a Minas de São Domingos. (Expressões alentejanas mode: on!)

Chegámos lá com o termómetro a bater os 38°C. Mas fomos logo recebidos pelo sossego da praia fluvial da Tapada de Minas de São Domingos, com a sombra natural das suas árvores e a água fresca a convidar a muitos banhos. Dica de amiga: se forem para a parte mais sossegada, como nós fomos, levem pézinhos de borracha. Ou façam como nós e mergulhem rápido, mantendo sempre os pés a flutuar na água. Assim evitam ir a correr para a toalha feitos histéricos, com os pés recheados de mini sanguessusas e a gritar de pânico enquanto as tiram! (Ou então tiram-nas calmamente, como as pessoas normais fazem, o que não foi o meu caso como já devem ter percebido! 😆)

O sossego, a simplicidade e o contacto com a Natureza que se vive neste Alentejo profundo são, sem encontrar outra expressão melhor para os descrever, do caraças! É durante o dia ouvir só o chilrear dos pássaros e o cantar das cigarras, que à noite dão a vez aos grilos e às rãs; é nadar ao lado dos peixes e vê-los a saltar na água; é ficar na praia até o Sol se pôr e ver o céu pintar-se de mil cores; é olhar para o céu escuro da noite e vê-lo tão grande e tão estrelado que quase nos sentimos esmagados; é tentar encontrar nesse mesmo céu as constelações que conhecemos e ver passar uma estrela cadente; é andar dia e noite de pernas à mostra e chinelo no pé, porque o calor é tanto que não dá para ser de outro modo; é comer saladas, frutas e muita água durante o dia e ir às farturas e às imperiais depois do jantar. São coisas que sabem pela vida e que não têm preço! ❤️

Instalámo-nos uns dias na Casa da Torre, nas Minas de São Domingos, uma casa linda, simples e acolhedora, ainda com muitos traços característico das casas alentejanas antigas, onde fomos muito bem recebidos e acolhidos.

Levámos mais malas de comida do que de roupa!  Uma geleira cheia de comida já feita, para não perder muito tempo em cozinhados durante as férias, um saco térmico com muita fruta e mais um saco cheio de essenciais como temperos, massa e frutos secos. Tentei levar coisas simples e que dessem para comer fora de casa, ou que fossem rápidas de cozinhar: salada de couscous, legumes já lavados e cortados (alface, cenoura, couve kale) para fazer saladas rápidas, hambúrgueres de feijão e beterraba para pôr no pão, croquetes de lentilhas e um patê de ervilhas e manjericão que serviu como óptimo molho para massa. Iogurtes vegetais para os lanches, granola de alfarroba para o pequeno almoço e não poderíamos estar no Alentejo sem pão com queijo e chouriço, por isso levámos os nossos preferidos em versão vegetariana*.

Nos últimos dias trocámos a tapada pela vila e ficámos em Mértola, na Quinta do Vau, que tem a vista mais bonita de sempre.

Rodeados por rio, montanha, árvores e com o castelo como paisagem de fundo, era impossível não nos perdermos de amor por este sítio.

Tomámos banhos de piscina, de sol e de estrelas, devorámos muitas páginas de livro e passeámos sem pressas pelas ruas cheias de encanto medieval da vila.

Saímos de lá com uma sensação agridoce no peito, felizes pela sensação boa que estes dias nos deixaram na alma, mas sem vontade de deixar a região que nos rouba sempre mais um bocadinho do coração.

Se há algo capaz de nos trazer memórias é a comida com os seus cheiros e sabores. E não há nada que me faça lembrar mais o Alentejo que estas sopas de tomate, que cresci a comer em casa e que nunca faltam quando estamos com os meus primos. É dos pratos mais simples de fazer, e comer, mas aqui partilho a receita convosco pois o que estas férias me mostraram é que é na simplicidade que temos o melhor da vida! 😊

Sopas de Tomate à Alentejana

Ingredientes (para 2-3 pessoas)

  • 1 cebola média, em rodelas
  • 2 dentes de alho grandes, picados
  • 2 tomates bem maduros e grandes, em pedaços
  • 1 folhas de louro grande
  • 1/2 pimento vermelho, às tiras
  • 1/4 chávena de polpa de tomate
  • 2 batatas médias, às rodelas
  • Pão alentejano para acompanhar
  • Sal, azeite q.b

 

Como preparar

Num tacho grande coloque um fio de azeite, a cebola e o alho e deixe refogar em lume baixo até tudo amolecer.

Junte o tomate e a polpa e quando estiver desfeito acrescente o pimento, as batatas e água até cobrir tudo. Tempere com sal e deixe cozer em lume brando com o tacho tapado.

Quando as batatas estiverem cozidas retire do lume e sirva com um bom pão alentejano: coloque o pão no fundo do prato e ensope com a sopa, ou sirva a sopa assim simples com o pão torrado.

* Queijo vegetal Violife e chouriço vegetal Vegin

Previous Post Next Post

You Might Also Like

6 Comments

  • Reply A. Agosto 12, 2017 at 11:57 am

    *Inserir suspiros aqui* fiquei com tanta vontade de pegar no carro e ir para o Alentejo a ler isto (menos a parte das mini sanguessugas – eu fazia-te companhia no histerismo de certeza).

    Devia de haver mais dias assim, não é? é disso que é feita a vida :)

    beijinho e até ao próximo meet!

    • NotGuiltyPleasure
      Reply NotGuiltyPleasure Agosto 13, 2017 at 12:39 pm

      Obrigada minha linda, que bom ver-te aqui ❤️ Força, pega no carro e vai, eu tenho tanta vontade de fazer o mesmo ihih as sanguessugas são um pequeno pormenor, quando nos habituamos a não as chatear elas deixam-nos entrar no mundo delas sem problemas eheh
      Grande beijinho E venha daí o próximo meet!

  • Reply Sónia Lamêra, Green Food Agosto 12, 2017 at 1:05 pm

    Adorei ler este post :) amanhã vamos para o Algarve, iremos ter o oposto dessa calma toda, mas vão saber bem os mergulhos no mar. Obrigada por esta “viagem” até ao Alentejo.
    Beijinhos, saudades <3 (temos de combinar algo, ainda não conheces a Olívia*)

    • NotGuiltyPleasure
      Reply NotGuiltyPleasure Agosto 13, 2017 at 12:37 pm

      Obrigada minha querida, temos de combinar qualquer coisa rápido sim!! Tenho saudades também e tanta vontade de conhecer a princesa! :)
      Um grande beijinho e boas férias, dêm muitos mergulhos nesse mar matavilhoso

  • Reply Carla Agosto 18, 2017 at 6:24 pm

    Uau! Fiquei com tanta vontade de ir para aquela piscina!! Aqui à uns tempos fui com a Rita passear até Monchique e passámos pelas Minas! Paisagem linda! Mas ainda bem que não fui molhar os pés mêlher! Que borrava-me toda! :P
    Fico à espera de novidades!
    Bêjos!

    • NotGuiltyPleasure
      Reply NotGuiltyPleasure Agosto 21, 2017 at 7:17 am

      É tão lindo Carlinha, se voltares a passar por lá vai molhar os pés sem medo, se fores rápida elas não vêm e são só bichinhos :P e é muito bonito, sim, adorei cada cantinho ❤ quanto à piscina, sem palavras…
      Beijinhoo

    Leave a Reply

    Powered by themekiller.com