Receitas

Almôndegas de Beterraba e Cenoura com Molho de Iogurte e Hortelã [e o workshop GKS]

No início de 2014 decidi que não ia fazer resoluções de ano novo, mas fiz uma promessa a mim mesma: fazer coisas que me deixassem feliz.
Se há coisa que me deixa feliz é cozinhar… e aprender!
Tendo isto em conta, quando vi que teriamos cá em Lisboa um workshop de cozinha vegetariana com os autores de um dos meus blogs preferidos, o Green Kitchen Stories, fiquei… como hei-de dizer…histérica!!! Mesmo, mesmo histérica, do tipo de mostrar a toda a gente que achei que iria ter interesse, dizer aos meus pais que já sabia o que queria de presente de aniversário e inscrever-me assim que recebi no meu mail os pormenores do workshop.
O programa prometia. Um fim de semana dedicado à nutrição e cozinha vegetariana, com aulas de ashtanga yoga e ainda um workshop de fotografia.
Fui a tudo. Comecei a praticar yoga recentemente, algo que já queria experimentar há muito tempo e fiquei completamente viciada. Consigo encontrar no yoga alguma serenidade que me falta no dia-à-dia e desligar-me por completo das preocupações, pelo que fiquei muito entusiasmada por poder experimentar uma vertente do yoga diferente da que pratico.
Quanto à fotografia, o saber não ocupa lugar e quem tem um blog gosta de mostrar as suas aventuras culinárias de maneira mais apelativa e bonita possível certo? Portanto lá me inscrevi eu!
O workshop realizou-se no início deste mês, na Casa Vinyasa – Ashtanga Yoga Shala, um espaço bonito, cuidado e acolhedor, com uma luz fantástica e bem no coração de Lisboa. A equipa é composta por pessoas amorosas, a transbordar de simpatia que nos receberam com um sorriso caloroso.
No Sábado, primeiro dia do workshop, fui para lá de estômago aos pulos com a ansiedade. Ia sozinha, sem conhecer ninguém, o que já me estava a deixar nervosa o suficiente. Depois sabia que tudo ia ser falado em inglês, que não tenho qualquer problema em ouvir ou ler, mas estou muito enferrujada a falar e escrever. Por fim estava com algum medo que a comida do workshop tivesse ingredientes de origem animal que fossem essenciais para a receita e assim eu não iria conseguir comer.
Felizmente esse nervosinho foi desaparecendo ao longo do fim de semana. Li a ementa e era tudo maioritariamente vegetal, apenas dois ingredientes eram de origem animal e facilmente evitáveis. Yey!! No inglês as coisas foram fluindo e quanto ao facto de ir sozinha penso que até foi bom pois consegui conhecer e conversar com várias pessoas e descobrir as suas origens, gostos, motivações e até projectos de futuro.
Quando cheguei à Casa Vinyasa, no Sábado, a Luise e o David já lá estavam, prontos para nos passar os seus conhecimentos e eu prontinha para absorver tudo.
A Luise está a frequentar um curso na School of Nutritional Medicine em Estocolmo para se tornar Terapeuta Nutricional e por isso começou o workshop a falar-nos um pouco sobre as bases da nutrição e a sua abordagem em relação à alimentação. Salientou a importância de vários factores para nos mantermos sãos como beber água, dormir bem e realizar uma alimentação o mais natural possível, de preferência com ingredientes orgânicos e sem recurso a produtos processados. Falou-nos também que devemos comer de acordo com o que nos faz sentir bem e não ficar preso a algumas regras nutricionais. Por exemplo, se nos apetece 4 ou 5 peças de fruta não nos vamos privar do que o corpo quer, porque supostamente só deveríamos comer 3 porções de fruta diariamente.
Outra dica nutricional foi não eliminar as gorduras do nosso organismo, pois elas são necessárias, mas escolher as que nos dão maior retorno nutricional, como as sementes e os frutos secos. Estes dois tipos de alimentos devem ser comprados sempre inteiros, para evitar a oxidação dos seus óleos gordos e devem ser demolhados em água antes de utilizados para activar os seus nutrientes. Caso os queiramos tostar devemos fazê-lo a temperaturas baixas para que as suas gorduras saudáveis não se transformem em ácidos gordos prejudiciais ao organismo.
No Sábado toda a comida foi crudívora.
Fomos divididos em grupos de 8 pessoas e em “mesas” improvisadas no chão pudemos preparar as nossas refeições após as instruções da Luise.
Começámos com um shot de sementes de chia e açaí, que nunca tinha provado e estava com enorme expectativa. Não consegui perceber muito bem o sabor, mas não achei nada de especial. Na receita foi usado açaí em pó e em conversa com outros participantes do workshop referiram-me que bom mesmo é o açaí fresco, que é fácil de encontrar em países sul-americanos, já que o pó fica aquém em termos de sabor e qualidade nutricional deste fruto.
Seguiu-se o prato principal, umas almôndegas de beterraba e cenoura deliciosas, que vos mostro mais à frente com uma ligeira adaptação, servidas em folha de couve (que pode ser substituida por alface) com topping de germinados, abacate, chucrute (couve fermentada ou pickle de couve) e servido com molho de iogurte, que eu dispensei.
Depois da barriguinha cheia e de uma pausa para descontrair começou o workshop de fotografia com o David, que é designer e o responsável pelas fotos e design do blog e dos dois livros, um deles ainda a ser escrito.
Não tenho uma máquina toda XPTO e tudo o que aqui ponho vem da minha humilde cybershot e da sua fantástica função macro que estou sempre a usar. Mas isso não significa que não se possam tirar fotos bonitas e até mesmo com o telemóvel é possível. É preciso treino, ver muitas fotos de outros sites e convenhamos, ter olho para coisa. Acontece que eu não tenho olho e às vezes nem grande paciência, mas ouvi com grande atenção as informações do David e apontei tudo, sabe-se lá se algum dia não as irei usar. Algo que foi bastante mencionado é que o importante é que a foto seja apetecível ao ponto de dizermos: quero comer isto!
Portanto pessoal, preparem-se, que agora vou começar a treinar e as minhas fotos vão passar a ser todas tão apetitosas que o vosso monitor vai ficar cheio de marcas de dentadas ahaha :P
Diapositivo1
O Domingo começou bem cedo e às 8h (auch!!) já estavamos no salão da Casa Vinyasa preparadíssimos para começar a aula de yoga dada pela Isa. Adorei, mesmo! Consegui fazer mais posições (que no yoga se denominam de asanas) do que achava que ia conseguir e as 2h destinadas à pratica passaram a voar. No fim da aula fizemos o relaxamento do corpo e da mente, deitados, com umas mantinhas por cima, embalados pela voz suave da Isa e por um som de fundo que não sei o que era, mas que era compassado e muito calmante. Foi delicioso, soube tão bem que adormeci por momentos e não fui a única! ;) Após a prática de yoga, que deve ser feita em jejum ou com pouca comida no estômago, a Luise e o David brindaram-nos com um pequeno-almoço maravilhoso de overnight oats feitas com sumo de laranja, sementes de canhâmo, banana esmagada, côco e hortelã que me soube pela vida! Podem ver a receita no blog deles, aqui.
Apresenta_o5
O workshop de culinária decorreu de modo mais descontraído, tanto a Luise e o David estavam mais à vontade, circularam mais entre os grupos para falarem um pouco connosco e a comida era verdadeiramente deliciosa!
Sopa fria de pepino, aipo e uvas com germinados de beterraba, diferente e muito saborosa.
Hummus com açafrão da índia (curcuma) e pimenta preta, uma dupla que deve andar sempre junta pois a pimenta potencia as propriedades da curcuma, por exemplo a sua acção anti-inflamatória.
Salada de lentilhas com espinafres crús, sementes de cânhamo e mirtilos que era fabulosa! O doce dos mirtilos na salada ficava perfeito e adorei provar espinafres crus em salada, que nunca o tinha feito.
Mousse de abacate e lima com crumble de amendoas e cacau para sobremesa, que estava divinal e devorei em três tempos, tudo adoçado com o açúcar natural das tâmaras.
Em resumo, foi um fim de semana muito, muito bom!
Vim de lá muito feliz, carregada com novos conhecimentos, boas conversas e receitas fantásticas.
Adorei conhecer o David e a Luise, são um casal simples e amoroso, são os dois lindíssimos, simpáticos e com sentido de humor que nos proporcionaram óptimos momentos.
Adorei a Casa Vinyasa e quero muito lá voltar!
Adorei conhecer novas pessoas e as suas histórias.
Adorei conhecer os rostos por trás de blogs que já seguia – Inês e Sandra um beijinho para vocês, gostei imenso de falar convosco :) – e juntei mais 2 blogs vegetarianos à minha lista, o Foodlosophy e o Sal y Amor, que vale a pena visitarem!
Depois de tanta conversa, ainda aí estão para ver a receita? ;)
Estas são as almôndegas de cenoura e beterraba, cruas, que fizemos no workshop, apenas com mais umas coisinhas aqui e ali para potenciar o sabor e acompanhadas de um fresquinho molho de iogurte e hortelã.
Uma opção bem saborosa e fresquinha para os dias quentes que já se fazem sentir.
Ingredientes (para cerca de 20 almôndegas de tamanho médio)
  • 3 cenouras pequenas, em rodelas fininhas
  • 1 beterraba média, ralada
  • 14 tomates secos em óleo, escorridos e cortados aos pedaços (se forem dos desidratados demolhar em água durante 1h)
  • 1/2 cebola pequena, picada
  • 1 dente de alho grande
  • 1/2 chávena de sementes de girassol
  • 1 colher de sobremesa de azeite
  • 1/2 colher de sobremesa de sementes de funcho em pó (moí as sementes no almofariz)
  • Salsa picada a gosto
  • Sal, pimenta, água e sementes de sésamo q.b.
Como preparar
  • Demolhar as sementes de girassol em bastante água durante 1h.
  • Numa tigela colocar a cenoura, o alho, os tomates secos, as sementes de girassol demolhadas e escorridas, o azeite e um pouquinho de água (cerca de 1 colher de sopa) e triturar com a varinha mágica. Se ficar difícil de triturar juntar mais um pouco de água, mas cuidado para não ficar uma pasta demasiado líquida.
  • Depois de tudo bem triturado adicionar a cebola*, a beterraba, o funcho, a salsa e temperar com sal e pimenta.
  • Levar ao frigorífico cerca de 1h.
  • Moldar as almôndegas e passar pelas sementes de sésamo.


* Se preferirem podem juntar a cebola à cenoura para ser triturada.

    
     Molho de iogurte e hortelã
    1 iogurte de soja natural, sem açúcar.
1 colher de sopa de hortelã picada
1 pepino pequeno em pickle, picado
Sal, pimenta e alho em pó q.b.

    Juntar o iogurte com a hortelã e o pickle e temperar a gosto com o sal, pimenta e o alho em pó.
Servir as almôndegas com o molho de iogurte e acompanhamento a gosto.
P.S. Aqui há tempos contei-vos que o meu telemóvel era da idade da pedra. Pois que já entrei no séc. XXI e agora tenho um telemóvel todo catita que usei para tirar as fotos do workshop que aqui vêm. E também já me rendi ao Instagram, podem seguir o blog por lá. ;)
Previous Post Next Post

You Might Also Like

30 Comments

  • Reply Márcia Gonçalves Abril 18, 2014 at 11:40 pm

    Olá Patrícia! Sabes que gostava muito de ter ido, e por isso agradeço-te por teres partilhado este workshop incrível! :D
    Todo esse ambiente deve ter sido espectacular! Nutrição, ioga, receitas incríveis e fotografia… Enfim, percebo a tua histeria!
    A receita parece incrível, estou ansiosa por experimentar :)
    Beijinho

    (adorei o pormenor dos malabarismos nas fotografias! acredita que às vezes é cada aventura :p)

    • Reply NotGuiltyPleasure Abril 19, 2014 at 2:33 pm

      A receita é muito boa e fresquinho, experimenta :) o workshop foi sem dúvida uma óptima experiência, encontramo-nos no próximo :P
      Beijinhooo**

  • Reply Limited Edition Abril 19, 2014 at 12:17 am

    pela tua descrição fiquei cheia de pena de não ter ido ao workshop. acho que também teria tirado imenso partido, só o yoga é que ainda não tentei mas penso que tb ficaria viciada tendo em conta tudo o que promete. só é pena a parceria com a quinta do arneiro… como te disse uma vez, o meu casamento foi decorado por pessoas que aí trabalham e fiquei com uma péssima impressão sobre a sua ética de trabalho. a partir daí, evito consumir seja o que for que daí venha. seja como for, obrigada pela partilha, já aprendi um pouco e consegui absorver alguma da sabedoria que te foi transmitida. bjs e boa páscoa!

    • Reply NotGuiltyPleasure Abril 19, 2014 at 3:04 pm

      Foi mesmo muito giro Maria, penso que terias gostado, muitos dos participantes não eram vegetarianos mas eram entusiastas da alimentação saudável e houve muita partilha de dicas e experiências!
      Não sabia que tinha sido a quinta do arneiro a fazer o teu casamento, lembro-me perfeitamente da história que contaste mas não me lembrava que tinha sido de lá :S mas na verdade os ingredientes eram mesmo muito bons, o biológico faz realmente toda a diferença, tenho imensa pena de não ter um mercado biológico aqui perto pois não compraria de outra maneira!
      E ainda bem que pude transmitir algumas das coisas que aprendi! :)

      beijinho**

  • Reply Ana Abril 19, 2014 at 8:52 am

    Adorei o post! Ainda bem que decidiste ir, não há nada como experimentar coisas diferentes. Tenho que experimentar esta receita :) obrigada pela partilha da experiência! Beijinho

    • Reply NotGuiltyPleasure Abril 19, 2014 at 3:06 pm

      Obrigada Ana, é verdade, é óptimo partir para a “aventura” e fazer coisas novas, por maior que seja o friozinho na barriga a recompensa pode ser muito boa, que foi o caso! :)

      beijinho*

  • Reply Entre Tralhas e Panelas Abril 19, 2014 at 10:09 am

    Tem bom aspecto…Boa Páscoa…beijinhos

  • Reply Nem acredito que é saudável! Abril 19, 2014 at 2:49 pm

    Um fim de semana em grande!!! Acho que me convenceste a ir num próximo que haja! Talvez nos encontremos lá :D
    Um grande beijinho, boa páscoa
    sara

    • Reply NotGuiltyPleasure Abril 19, 2014 at 3:15 pm

      Acho que terias gostado Sara, para a próxima lá estaremos então! :D

      beijinhoo e boa Páscoa pa ti também***

  • Reply Avelã Abril 19, 2014 at 3:09 pm

    Olá!
    Todos os pratos têm um aspeto delicioso! Deve ser muito giro e enriquecedor, nota-se bem pelo entusiasmo com que escreves que gostaste e que foi uma boa experiência! :)
    Todas as 3 partes parecem interessantes, principalmente a da culinária, claro… deve ser muito agradável (essas almôndegas parecem deliciosas!)
    Já yoga… Gostava de fazer, mas não tenho mesmo paciência… Não consigo imaginar estar mais do que 10 minutos a fazer isso! Parece difícil, e aposto que pode ser muito eficaz e gratificante em termos de melhorar a prestação, mas acho que não é o meu tipo de desporto…

    • Reply NotGuiltyPleasure Abril 19, 2014 at 3:29 pm

      Olá Avelã!
      Os pratos eram mesmo bons, aquele hummus então, aaii, foi devorado em três tempos por todo o grupo :P
      Quanto ao yoga, eu pensava o mesmo. Achava que não teria paciência para as respirações, as meditações e toda a ideologia associada. E depois experimentei. E passadas umas 4 aulas já estava viciada. Ajuda-me imenso a relaxar. E tem uma componente física forte que gosto bastante, como fui ginasta em pequena, ainda tenho esse bichinho e todas as aulas desafio-me a ir um pouco mais além, tanto fisicamente como mentalmente. Não há nada como experimentar. E depois logo vês se gostas ;)

      beijinho*

  • Reply Ana Teles Abril 19, 2014 at 9:41 pm

    As almôndegas ficaram lindas.
    E tudo isto me lembra que preciso voltar ao yoga por todos os motivos, desde dormir melhor, a diminuir a tensão e, claro, a fazer-me sentir melhor.

    Boa Páscoa.

    ______________________
    Ana Teles | Telita
    blog: Telita na Cozinha

    • Reply NotGuiltyPleasure Abril 20, 2014 at 11:27 pm

      Obrigada Ana :) Acho que fazes lindamente em voltar ao yoga, só me tem trazido boas coisas :)

      beijinho*

  • Reply Cozinhar sem Lactose Abril 20, 2014 at 5:51 pm

    Parecem muito bem, essas almôndegas crudívoras!

  • Reply Gori Abril 23, 2014 at 6:21 pm

    Patrícia, querida, andava em pulgas para ler o teu post :) Eu quando tive conhecimento do workshop fiquei muito entusiasmada até verificar que seria impossível ir a Lisboa nesse fim de semana, mas agora com a tua descrição foi como se participasse um bocadinho nele, adorei todas as palavrinhas :) as fotos e a receita, nem se fala. Vou experimentar logo, logo!
    Beijinhos

    • Reply NotGuiltyPleasure Abril 25, 2014 at 1:41 pm

      Obrigada Gori, foi um fim de semana muito bom, espero que tenhas oportunidade de participar em algo parecido uma próxima vez! :) apesar de ter tido um inicio tremido foi um fim de semana de aprendizagem, novas experiências e óptimas conversas, gostei imenso. A receita é uma delícia pro verão :)

  • Reply Marmita Abril 24, 2014 at 10:40 am

    Olá tb gostei muito de te conhecer, que bonita descrição do fim de semana! beijos e até a uma próxima, espero que para bem breve. beijos

    • Reply NotGuiltyPleasure Abril 25, 2014 at 1:43 pm

      Obrigada marmita, espero encontrar-te uma próxima vez, também! ;) beijinho

  • Reply Eva Bellas Abril 24, 2014 at 2:36 pm

    Patricia! <3
    Que bom conhecer o teu Blog…. e encantada por fazer parte da tua lista, obrigada!
    Para mim, o que mais gostei do GKS workshop foi realmente ter conectado com muita gente linda e creativa deste universo paralelo que sao os food blogs.

    Um abraço e… hasta la vista! ;))

    • Reply NotGuiltyPleasure Abril 25, 2014 at 1:46 pm

      Obrigada Eva foi bom conhecer-te, apesar de termos conversado apenas uns minutos :) O teu blog é lindíssimo, claro que teria de adicionar às minhas leituras!
      Um beijinho e até uma próxima vez :)

  • Reply Sónia Santos Maio 7, 2014 at 5:20 pm

    Obrigada pela partilha, deve ter sido fantástico! E a comida… tão gourmet! :) Tem tudo um aspeto delicioso!!!

    • Reply NotGuiltyPleasure Maio 7, 2014 at 10:40 pm

      ahah comida gourmet, naaa, até comemos bastante! :P

      beijinho*

  • Reply conteudovazio Setembro 10, 2014 at 10:05 am

    Fico contente por teres usufruido do workshop da melhor maneira!
    Fiquei com inveja :P da boa tá!!! :)
    Mas para mim não deu mesmo.
    Talvez da próxima… Entretanto vamos fazer uns no IMP?

    Beijinhos

  • Reply Mariana Neves Fevereiro 10, 2015 at 12:13 am

    Pergunto-me: porque é que eu não fui?! :p
    Obrigada pelo post, deu um bocadinho de ares maravilhosos desses dias!
    Beijinhos

    • NotGuiltyPleasure
      Reply NotGuiltyPleasure Fevereiro 11, 2015 at 11:24 am

      Foi muito giro Mariana, tinhas gostado com toda a certeza! :)

      beijinho*

  • Reply Filipe Patrocinio Maio 10, 2017 at 11:05 am

    Bom dia. Gosto muito das tuas receitas. Já experimentei algumas e vou continuar a fazer outras.

    Só uma questão estas almondegas não passam no forno? São assim frescas?

    Obrigado e continuação de muita inspiração

    • NotGuiltyPleasure
      Reply NotGuiltyPleasure Julho 2, 2017 at 12:51 pm

      Muito obrigada Filipe, fico feliz por saber que gostas e que fazes as receitas aqui do blog :)
      Estas almôndegas são frsscas sim, são crudívoras!
      Se quiseres experimentar podes colocar no forno, se preferires comida cozinhada, ou colocá-las a tostar um bocadinho na frigideira com um fio de azeite. Se experimentares conta como ficou :)

    Leave a Reply